Modelo cooperativista é adequado à sociedade em rede, afirma Gustavo Krause



Há dificuldades, mas também há razões para ter esperança no Brasil. E o cooperativismo é um dos caminhos, na opinião do ex-ministro e ex-governador de Pernambuco, Gustavo Krause. “A organização cooperativa é adequada à sociedade em rede, às evoluções tecnológicas do século XXI e à capacidade das pessoas se organizarem de maneira não hierarquizada, participativa, com responsabilidades recíprocas e esforço conjunto. Eu acho que é uma forma de organização do futuro”, declarou o ex-ministro.

Ele avaliou o cenário político-econômico nacional na palestra “Brasil: Desafios e Perspectivas”, proferida no auditório do Sistema OCB/SESCOOP-PB para uma plateia formada por mais de 60 dirigentes e representantes de 30 cooperativas. “As dificuldades não vêm de agora e exigem da parte do governo e da sociedade um esforço muito grande para serem superadas. Principalmente, no que diz respeito à crise fiscal e ao equilíbrio das contas públicas. Mas temos ativos como o protagonismo ambiental do Brasil, que tem um papel fundamental na economia ecológica, que é uma fronteira nova no mundo”, afirmou.

A diversidade de fontes de energias renováveis, a força do agronegócio e o potencial do cooperativismo são outros ativos do país, segundo o palestrante. Ele ressaltou que para aproveitar as oportunidades é preciso observar o que está acontecendo globalmente, sem perder a perspectiva local.

“Esse mundo novo que vem se abrindo, a partir da tecnologia da informação e da biotecnologia, dá ao Brasil excelentes oportunidades dele se transformar num player, num protagonista no mundo. É preciso que nós façamos o nosso dever da casa: democracia, livre-mercado, contas em dia, segurança jurídica... Se a gente fizer esse dever de casa, a gente caminha bem nos próximos anos”, avalia.

Questionado sobre o "dever de casa das cooperativas" para avançarem, Krause afirmou que o setor tem um campo muito amplo para se desenvolver. “Eu ouvia muito que a personalidade brasileira, o estilo de ser do brasileiro era diferente do que exige uma cooperativa, que é o compartilhamento de decisões, de responsabilidades, de obrigações e de lucros. Eu acho que é uma forma de organização do futuro, daquilo que a gente chama de sociedade em rede, da época da internet, da quarta revolução industrial. Eu faço muita fé nesta forma de organização”, finalizou.

 

Expectativa positiva para o país e para o cooperativismo

 

Para o presidente do Sistema OCB/SESCOOP-PB, André Pacelli, a palestra ofereceu uma perspectiva positiva e apontou caminhos para os cooperativistas. “Ele fez um relato histórico dos últimos 100 anos, trazendo uma expectativa de que o país possa encontrar o caminho do desenvolvimento e do crescimento. E esse caminho certamente passa pelo cooperativismo, que aqui na Paraíba está cada vez mais pujante, mais forte, mais consolidado. Para os nossos dirigentes, ele trouxe a importância da capacitação e do investimento em tecnologia”, comentou.

“As cooperativas têm que buscar inovação para que alcancem cada vez mais competitividade e a sustentabilidade de seus negócios. E tem a questão ética. É fundamental que os dirigentes estejam comprometidos com as questões de compliance e de governança”, acrescentou André Pacelli.

Oportunidades no ramo agropecuário

A agropecuária foi representada no evento por lideranças como secretário estadual da Agropecuária e Pesca, Efraim Morais, e o superintendente da Faepa/Senar, Sérgio Martins, além de dirigentes de cooperativas do ramo. Os participantes avaliaram positivamente a palestra, que deu ênfase à importância da agropecuária e apontou oportunidades para o setor.

“Foi apresentado todo um cenário político, econômico e histórico para que nós tenhamos uma visão diferente das oportunidades que estão surgindo. Na área do agronegócio, vimos a grande oportunidade que tem o Brasil, que é o celeiro do mundo, de envolver não só cooperativas de produção, mas também de serviços, de crédito e de outros segmentos para que possam convergir para melhoria do setor”, comentou Sérgio Martins.

O secretário Efraim Morais elogiou a iniciativa. “Muito importante esta palestra do Gustavo Krause, que é uma autoridade em várias áreas e veio nos enriquecer abordando os desafios e expectativas para o Brasil, abordando o setor do agronegócio e principalmente o cooperativismo. Parabenizo o presidente André por trazer para os cooperativistas esta informações sobre as tendências do país, na expectativa de que juntos nós possamos construir o caminho que interessa para o futuro, ou seja, unir todos para dar melhores condições aos que estão na ponta e trabalham por um país melhor”, afirmou.

 


Comentários

Comentar

4051
Fale com o Sistema OCB/PB